Os superastros do futebol e o combate à pobreza

Os superastros do futebol e o combate à pobreza

Somente para novos clientes | Conteúdo Comercial | 18+

A grande imprensa, principalmente a desportiva e a do entretenimento sempre nos mostram os grandes jogadores de futebol ostentando a sua fortuna, exibindo os seus carros caros, roupas de grife e as suas mansões espalhadas pela Europa e pelo mundo. Um leitor distraído no jornal julgaria apenas por essas imagens e se deixariam levar pela imagem de ‘glamour’ do mundo do desporto e esquecem a outra face dessas personalidades. Porém, muitos destes atletas que ostentam a sua riqueza nas páginas de revistas e jornais, não nasceram em berço de ouro, construindo a sua riqueza, porém, nunca esquecendo das suas origens humildes.

Para honrar as suas raízes simples, vindos de comunidades pobres de vários países, alguns jogadores querem fazer a diferença não apenas nos relvados, mas também no mundo, após se firmarem como estrelas no futebol internacional e brilharem com as camisas dos clubes mais conhecidos e ricos do mundo, esses jogadores lembram que nada disso talvez tivesse acontecido, se não houvesse apoio das pessoas e amigos das suas comunidades de proveniência.

Dezenas de projetos que surgem em várias periferias do mundo, de origem anónima, na verdade, são ações originadas na boa vontade de retribuir, nem que seja de maneira discreta, a vizinhança onde nasceram e cresceram e o desejo de ver a qualidade de vida e de oportunidades aumentarem para as pessoas que habitam esses locais.

Entre as estrelas que devotam parte das suas riquezas para a caridade está, Cristiano Ronaldo (Portugal), Neymar (Brasil) e Lionel Messi (Argentina). Por coincidência são os atletas que mais investem em caridade segundo levantamento da ONG “Athletes Gone Good”, não é por acaso, pois, uma leve olhada na biografia desses jogadores mostra as suas raízes pobres vivendo de forma simples até alcançarem a posição de estrelas mundiais.

Além de ações financeiras muitos jogadores ajudam a construir um mundo melhor através da política, pois, muitos deles são embaixadores da boa vontade na Organização das Nações Unidas (ONU), para quem não conhece o cargo ou as suas funções, o embaixador da boa vontade é um título dado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, com a sigla ACURAR, os embaixadores têm a função de representar refugiados de guerra ou de perseguições políticas, entre as celebridades que tem a honra de portar esse título e divulgar a causa das populações refugiadas estão David Beckham e o jogador espanhol Iker Casillas.

Muitos outros jogadores do mundo da bola fazem muito mais para tentar tornar o mundo um lugar melhor, porém, preferem ficar anónimos, mas não menos engajados em atividades sociais, lembremos sempre que nos deixar levar apenas pelo ‘glamour’ dos campos verdes pode nos fazer esquecer do papel importante exercido por vários atletas na sociedade, entre esses papéis talvez o mais importante seja o de inspirar a outras crianças, jovens e adultos a também trabalha para erradicar, a guerra, a pobreza e o analfabetismos das periferias do mundo.

É um lembrete que não podemos deixar as soluções para o mundo melhor apenas nas mãos de poucos, mas que todos desempenham o seu papel na busca por um planeta menos injusto e mais verde para nós e principalmente para as gerações futuras.

+18Jogue com responsabilidadejogoresponsavelProibido jogar a menores de 18 anos