Os princípios que guiam a indústria do futebol

Os princípios que guiam a indústria do futebol

A maior e mais amada categoria desportiva em todo o mundo, o futebol tornou-se nos dias atuais a maior indústria desportiva do planeta. Gerando cifras que beiram a trilhãos por ano, em todo o planeta. Muito além dos relvados e vestiários, a indústria desportiva gera renda mesmo em lugares longe dos campos.

Em torno das bandeiras de cada equipe, gira uma economia exuberante, que faz gerar empregos, em todos os níveis económicos, direta e indiretamente. Um dos exemplos mais conhecidos de renda gerada indiretamente pelas equipas de futebol são as casas de apostas desportivas. Em grandes eventos como finais de campeonatos na Europa e no mundo e principalmente durante o campeonato mundial realizado a cada ano, a copa do mundo.

Por sua grande popularidade, o futebol é uma febre mundial e como todo o fenômeno de massa, atrai empresas que desejam divulgar as suas marcas através de patrocínios a clubes e jogadores. Por exemplo, as aposta brasil costa rica para a Copa do Mundo já estão funcionando muito bem

A grande soma de valores que gira nos grandes campeonatos do mundo todo atrai muita atenção e infelizmente e nem sempre todos os envolvidos no desporto estão alinhados com as diretrizes éticas que regem o futebol. Apesar de muito escândalos envolvendo grandes somas de dinheiro entre clubes, jogadores e patrocinadores, a indústria do futebol preza sempre em primeiro lugar pela honestidade e transparência tanto nas suas transações comerciais quanto na prestação de contas com os seus torcedores e funcionários.

Não podemos deixar que alguns casos vergonhosos que ganham as manchetes dos grandes jornais apagar o brilho e as oportunidades que esse desporto traz a milhares de pessoas no mundo todo, desde a descoberta de novos talentos nos quatro cantos do globo, criando oportunidades e sonhos para milhões de crianças, até a ação de ONGs criadas por equipas de futebol que atuam em lugares pobres levando educação, saúde e desporto onde o estado nem sempre consegue chegar.

A indústria do futebol fomenta a prática desportiva, gera empregos directos e indiretamente, não podemos julgar toda uma estrutura apenas por alguns casos, que devem ser investigados e punidos segundo as leis de cada país. Assim como em qualquer instituição pública ou privada, infelizmente, sempre teremos pessoas de má-fé procurando obter vantagens pessoas de maneira ilícita, mas não será por isso que deixaremos que boas iniciativas sejam obscurecidas.

Desde a sua invenção, quando o futebol não passava de um passatempo descontraído nos fins do século XIX, foi criado com princípios éticos, com intuito de entreter e incentivar a atividade física e interação social, unindo pessoas dos mais diferentes tipos em torno de uma prática saudável, não esqueçamos o mais importante, lembrar dos fundamentos éticos da indústria futebolística, criados para guiar e trazer benefícios sociais, além de gerar renda e entretenimento para todos os amantes do maior espetáculo na terra.

Críticas são sempre ótimas para aprimorar as instituições e guiar no caminho correto quando se depara com um desvio na norma, mas ter um olhar que também veja os benefícios trazidos pelo futebol é essencial, tanto para corrigir erros quando para incentivar as boas práticas tanto dentro quanto fora de campo.